O poder de abstração e o seu antagonismo. Sobre as psicopatologias do capitalismo cognitivo

Por: Matteo Pasquinelli Fonte: uninomade 28/03/2013  Tradução: Mario S. Mieli Matteo Pasquinelli por Anne Helmond “A vida fende a matéria, elabora e contrai a matéria, dando vida às virtualidades contidas no material em direções desconhecidas. A vida emerge como devir-conceito, devir-pensamento ou, no caso da consciência, como devir-cérebro.” — Elisabeth Grosz[1] O debate filosófico-político dos últimos anos, pelo menos nas latitudes do pensamento francês e italiano, foi caracterizado por uma oscilação conceitual que focalizou, de tempos em tempos, o trabalho imaterial […]

Continue reading »