>> Amores Insólitos 56: amar a memória – Carta ao meu querido netinho, por Umberto Eco

Carta ao meu querido netinho Por: Umberto Eco Fonte: L’espresso de 03/01/2014 Tradução: Mario S. Mieli Não gostaria de que esta carta natalícia soasse demais à la De Amicis1 e que exibisse conselhos sobre o amor pelos nossos similares, pela pátria, pelo mundo e coisas desse tipo. Você não os ouviria e, na hora de colocá-los em prática (você adulto e eu trespassado), o sistema de valores terá mudando tanto que, provavelmente, as minhas recomendações resultariam datadas. Assim, gostaria de […]

Continue reading »