A mancha

A MANCHA: o maior desastre ecológico da história dos EUA


As imagens acima (registradas a 1500 metros de profundidade) foram difundidas após solicitação de Edward Markey, presidente da Comissão do Congresso para a mudança climática, intimando que a BP a torná-las públicas. Desde o começo, a empresa (colidindo com agências do governo como a guarda costeira e a MMS – Minerals Management Service) gerenciou o desaastre como uma operação de relações públicas, aproveirando do fato que a quase totalidade do petróleo derramado esteja escondida pelas ondas oleosas, como um imenso e viscoso iceberg. Gerenciando o acesso às imagens e subestimando de várias ordens de grandeza a quantidade de petróleo derramada, esta está sendo agora estimada como um derrame sem precedentes. E, como pode ser visto nas imagens, não tem pausa. Numerosas perdas continuam a vomitar o líquido negro dos abismos, como uma erupção que não se pode conter. E, como parara o caso daquela atmosférica, do Eyjafjallajökull, não se pode saber quais serão os efeitos tóxicos. A transmissão é intermitente e com frequência interrompida, pelo excesso de visitas. (Fonte: blog Losangelista, de Luca Celada / Il Manifesto)

PARA ACOMPANHAR OS DESDOBRAMENTOS:

GULF COAST OIL LEAK/PBS NEWSHOUR
CNN LIVE
LIVE Gulf Oil Spill Cam: Watch Video Feed Of BP Spill

TEXTOS E CONTEXTOS:

ATIVISMO:

>> Art not oil – manifestações na/contra a Tate
RESISTING THE CORPORATIONS
BP oil spill: Tate complicit: On Saturday 15th May, the Tate Modern gallery was forced to close down part of its 10th anniversary exhibition due to dozens of dead fish and oil-soaked birds attached to huge black balloons let loose in the Turbine Hall.
null
Art activists from the group Liberate Tate released the fish and birds, which filled the ceiling of the Turbine Hall. Tate staff could not remove them all before the evening celebrations, which meant some of the rotting fish remained reminding visitors of BP’s oil spill, which amounts to around 5,000 barrels of oil a day, according to official estimates. However, some scientists say the spill could be as much as 100,000 barrels a day and BP claims there is no way to accurately measure the spill.
Liberate Tate is a growing network of people demanding that the Tate drops its sponsorship deal with BP. They distributed a communiqué throughout the 10th anniversary events promising further actions to free art from oil.
www.twitter.com/liberatetate
http://www.artnotoil.org.uk./
http://www.corporatewatch.org/?lid=3613
null

Necro-petrolificados

Versos de Mario Mieli em homenagem
ao grandíssimo poeta Edoardo Sanguinetti, recém falecido,
e aos povos do Golfo do México e do delta do Níger,
ao serem forçados a conviver com uma realidade putrefata

“Quem luta com monstros deve velar por que, ao fazê-lo, não se transforme também em monstro. E se tu olhares, durante muito tempo, para um abismo, o abismo também olha para dentro de ti.”
Friedrich Nietzsche

Violenta
Apoteose
do capita[niba]lismo voraz

Hemorragia de espessísimas e horripilantes
Manchas
desterradas de insondáveis profundidades

Petrodólares futuros
agora flutuantes
despertados dos abismos
do caos e das trevas

E se antes a MEDOUSA
petrificava
todos que a miravam
Hoje,
petrolifica
todos que a ousam

Mas como faltam Perseus
para cortar-lhe a cabeça,
com todo o respeito que se deve ter até com os inimigos,
para metamorfosear, com amor, o sangue
da górgone em preciosos corais

Hoje, desencadeada
do Sistema MEDOUSA,
que envenena e apodrece
tudo o que toca,
jorra imperturbada
dos abismos
do atlântico oceano
a mais terminal das
Necroses

“…e non serve l’esorcismo,
finché c’è capitalismo…” (Sanguinetti)

 
 

Arquivos Recentes