>> MANIFESTO – O DINHEIRO TAMBÉM É VERDE, por Linda Montano





MANIFESTO – O DINHEIRO TAMBÉM É VERDE


Por: Linda Mary Montano
Tradução: Mario S. Mieli


1. Quase todo o dinheiro é papel. Pense duas vezes antes de criar um modo de gastar cada vez mais dinheiro, porque você está sacrificando uma árvore.


2. Algum dinheiro está na forma de cartões de plástico. Pense duas vezes antes de criar qualquer necessidade pessoal de ter mais plástico tóxico em sua vida.


3. Cartões de crédito devem ser vistos como equivalências, ou seja, se o que for visualizado no cartão como um bem ou ativo real estiver realmente lá, então use o cartão. Se o que for visualizado no cartão for apenas uma probabilidade, então não use o cartão.


4.Monetariamente falando, faça aos outros como seus avôs faziam, isto é, nossos pais e avôs gastavam somente aquilo que tinham. Siga o exemplo deles. Se você não tiver, não gaste.

5. Faça aos outros o que quiser que lhe façam. Antes de usar seu cartão até o limite, pense nas pessoas reais que se sacrificam trabalhando em três empregos para pagar pelos excessos monetários que você comete. Dedique três minutos por dia sendo outra pessoa. Quer dizer, seja essa pessoa com três empregos em sua imaginação e só depois decida o que fazer.


6.Os governos nos estão hipnotizando para que sejamos financeiramente descuidados, excessivos e irresponsáveis. Trata-se de um estratagema e de um modo para que, depois, possam intervir politicamente e punir. As consequências disso devem ser temidas.

7. “Vou gastar meu cartão até o limite porque estou com uma doença terminal” – isso é um pecado monetário parecido com qualquer coisa que você considerar um pecado em sua consciência individual. Por quê? Porque o irmão de algum trabalhador terá que arcar com suas dívidas, eventualmente.

7. A bancarrota é a inquisição da classe média: o “trabalhador” acaba tendo que pagar a conta de quem tudo deseja.



8. Faça só aquilo que você possa se permitir.


9. Queira só o que você possa se permitir. Se tiver dinheiro suficiente e se tornou um viciado do tipo “quero porque quero”, então se pergunte por quê quer?


10. Traduzido, isso significa: Por quê quero aquilo para que fui hipnotizado/a a querer?


11. Pare de imaginar que tem dinheiro quando não tem. Se não tiver dinheiro, arranje um emprego e viva de um modo que lhe dê sustento, não de um modo que sustenta um hábito que é um insulto elitista à sua alma.


12. O dinheiro é um dos tabus da vida, como o sexo, a morte. O dinheiro está em fase de deixar de ser um tabu, mas essa descontrução está agora em sua fase de motivo de chacota ou loucura. Levando-se o dinheiro a sério, ele será restituído à sua prévia posição de respeito/bondade-cuidado e terá sobrevivido ao teste do tabu.


13. Pergunte-se: serão o amor e o dinheiro oximoros ou incongruentes? Ou ainda: mercantilizados/satisfeitos? sustentáveis/desperdiçáveis? permutáveis/compráveis? generosos/cerceadores?


14. Há 867.000 maneiras de se interpretar a pobreza/viver no limite de seus próprios meios. Pesquise o assunto.


15. Agradeça seu poder supremo pelas riquezas invisíveis em sua vida e não por aquelas que podem ser compradas.


Linda Mary Montano, 21 de maio de 2011



Aura portrait of Linda Montano in Kingston, New York – © 2012 by Chrysanne Stathacos


Sobre a artista:


http://www.lindamontano.com/

http://www.lindamontano.com/livemediafeeds/

http://en.wikipedia.org/wiki/Linda_Montano

 

0 Comments

You can be the first one to leave a comment.

Leave a Comment

 
 

You must be logged in to post a comment.

 

Arquivos Recentes